segunda-feira, 23 de junho de 2008

A vingança serviu-se a 16º.


Após um fim de semana de condições menos boas para a prática da nossa querida actividade, eis que a previsão se torna realidade e melhora aquilo que nos faltou na passada semana, a visibilidade.

Tudo começou às 9 horas de Domingo: 2 barcos, 2 destinos. O "nosso" barco rumou à baixa do cabo, a oeste desta para ser mais preciso. O segundo barco acabou por ficar um pouco antes, nas paredes do cabo, nos destroços da popa do "River Gurara" que, segundo aqueles que lá estiveram, foi um bom mergulho, com a vida habitual, sargos, safias, judias e afins. Profundidade máxima de 18 metros e 10 a 12 metros de visibilidade (informações dadas por eles).

O "nosso" barco, por casmurrice minha, voltou ao "lobster canyons". Desta vez, no limite oeste, as condições tinham de ser melhores e assim se veio a provar. A visibilidade pouco ultrapassava os 3 metros na descida, mas, passada essa "faixa", ficámos com cerca de 12 metros de visibilidade. Assim que atingimos o fundo (- 24 metros) e à medida que rumámos sudoeste fomos afundando mais até atingirmos a profundidade máxima de 30 metros. Aí sim, vislumbrávamos tudo num raio superior a 20 metros, o que é realmente fantástico pois aquele spot é magnifico pelo ambiente que nos rodeia. As formações rochosas do fundo assumem formas incríveis. É como que se voássemos por cima de uma floresta petrificada num qualquer planeta distante.

Profundidade média de 28 metros, tempo total de fundo 54' (subida e safety stop incluídos), temperatura 16º.

Apesar de ser um local com uma quantidade de vida reduzida, pudemos observar: Nudibranquios, judias , sargos, 2 Salmonetes, tendo um deles umas dimensões de respeito (talvez dos maiores que já alguma vez vi), e as tão ansiadas Lagostas. Vimos apenas 3 lagostas espalhadas por toda a área que percorremos. Uma delas era uma incrivelmente grande. Enfim… elas teriam de aparecer, mais que não seja para fazer jus ao nome do spot. =)

2º Mergulho, regresso à Pedra do Leão após vários meses de interregno. Valeu a pena pois a visibilidade estava óptima (para cima de 15 metros na maior parte das zonas) e a quantidade de vida era digna de registo. Cardumes gigantes de Sargos e Safias. Apesar de estarem à volta de cada pedra eram imensos na "passagem" da pedra (como se pode observar na foto). Vimos ainda um cardume de badejos (peixe-bacalhau), fanecas, que frequentam normalmente os mesmos locais que os badejos, imensas judias, polvos e a restante fauna habitual neste local.

Aqui a temperatura não desceu dos 18º e a profundidade máxima não ultrapassou 13 metros. Quanto ao tempo de fundo foram 70' de puro prazer!

Obrigado a todos os que nos acompanharam e que como sempre tornaram o fim de semana numa festa divertida. =)




1 comentário:

saop disse...

Para todos confirmo que o "lobster canyon" é de facto um spot ao mais alto nível e vale bem apena.
Foi uma manhã óptima sem nada a apontar. Temos de repetir a nossa floresta petrificada e assaz colorida.
Obrigada Tozé pela tua teimosia que nos proporcionou este belo mergulho!!
São(zoca)