domingo, 24 de agosto de 2008

Domingo em grande.

Foi hoje um dia em grande, demos inicio ás actividades ás nove da manhã e rumámos ao cabo Espichel para um regresso á popa do river passados oito dias de um óptimo mergulho neste mesmo spot, e após pedidos de várias "famílias", lá decidimos voltar e bem, pois apesar de a agua á superfície não estar de todo apetecível com aquela cor castanho-esverdeada, ao iniciarmos a descida rapidamente podémos constatar que aquela cor era apenas nos primeiros quinze metros e que após isso lá estávamos naquela fantástica agua limpa que nos tem proporcionado tão bons mergulhos nestas ultimas semanas, a partir daí já devem estar a imaginar, um mergulho por entre ferros e mais ferros, chapas e mais chapas, estruturas e mais estruturas, tudo com muita ferrugem á mistura e também com muita vida interessante, quer pela variedade de espécies, quer pela sua dimensão, mas vamos aos factos:



Spot: River popa, profundidade 25 metros, visibilidade horizontal (no fundo) 15 metros, temperatura 15 graus, tempo máximo 40 minutos.

A vontade de mergulhar tem sido muita, também devido ás condições que temos encontrado, e por essa razão hoje e como tem sido habito nestes últimos fins de semana temos saído com 2 barcos completamente cheios, mas apesar disso temos tentado não juntar grandes grupos no fundo, o que não funcionou na plenitude neste primeiro mergulho, pois apesar de o Alex ter referido no briefing do barco pelo qual era responsável, a importância da autonomia dos grupos, e cada um deles liderado por seu Divemaster, isso acabou por não acontecer no fundo, e quase toda a gente decidiu segui-lo e comunicar directamente com ele o que obviamente impossibilita um usufruir do mergulho em pleno, apesar disso fizeram um bom mergulho e o feedback do grupo desse barco foi bom e de tal forma que muita gente decidiu fazer o segundo. =)

O barco por mim liderado estava poitado uns sessenta ou setenta metros por fora do nosso outro barco, já com o intuito de explorarmos a zona mais distante e profunda, pois o objectivo era fazermos o mergulho profundo do Advanced OW, e seguidamente e após conclusão dos exercícios propostos, rumar ao motor ou ao que dele resta e daí dirigirmos ao hélice, e se bem o planeámos melhor o cumprimos , mesmo apesar do condicionalismo do consumo de gás, retornámos ao ferro do barco como previsto e é habito e com o mínimo de oitenta bar, pelo meio ficou o registo visual e também fotográfico das espécies que normalmente habitam aquele naufrágio, os sargos, safias, saimas, bodiões, judias, fanecas etc etc... digno de referência foram os dois pargos capatão e como sempre mantêm as distâncias...e que distância, por alguma razão eles conseguem atingir aquelas enormes proporções, recordo-vos que o maior exemplar teria certamente uns 14 ou 15 quilos para quase um metro de comprimento, metade da dimensão teria o segundo peixe da mesma espécie e que também se reflectia na dimensão da preturberancia no topo da cabeça, para terminar esta descrição teria que fazer referência ao também enorme lavagante (próximo dos 5 quilos) que recolhido num pequeno espaço do destroço e sem saída, nos permitiu observá-lo com bastante atenção e bem próximo das máscaras.


Segundo mergulho, novamente dois barcos completamente cheios, e com vários objectivos para este mergulho, curso Open Water, Trydives, e passeio, tudo isto com registo fotográfico pelo meio, para organizar e proporcionar bons mergulhos aos participantes, para além de mim estiveram presentes os Instrutores da casa, Alex e Paulo Viegas, o sempre presente homem da imagem, Carlos Monteiro, e a nossa Divemaster São, que "serviu" 70 minutos de bom mergulho, voltando aos Trydives, tenho de fazer referencia e agradecer ás nossas alunas e amigas: Cristina Conceição, que trouxe o amigo Renné (Francês), a Cristina Cruz trouxe a mana Mónica, e "last but not least" a Andreia veio com o mano Pedro, todos eles passaram excelentes momentos subaquáticos influenciados pelos relatos empolgados por aqueles que lhes são mais queridos, muito obrigado.

Spot: Baleeira praia e ponta leste, profundidade máxima para o passeio 14 metros, Visibilidade entre os 8 e os 16 metros, temperatura 15 graus, tempo, passeio 70 minutos, trydive 45 minutos.

Relativamente a espécies avistadas, foram muitas e as habituais sem referencias de maior, sargos, safias, cardumes massivos de salemas, muitos ruivos, polvos etc etc.


Beijos e abraços e até quinta...para mais daqueles! =D

Tz

Fotos de Claudio Dias.

1 comentário:

Burrié disse...

Olá Tz, nunca são de mais os agradecimentos e por isso mais uma vez te agradeço a disponibilidade que tiveste para com o meu francês ... não sabes o quanto isso significou para ele... fiquei super feliz por ele ter concretizado este seu desejo (não sei se de há muito tempo ou não...) mas os olhinhos brilhantes dele no final e durante o rsto da tarde disseram tudo... MUITO OBRIGADO MESMO!!!!